O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


O Benfica deve vender em Janeiro?

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Avatar

Análise da arbitragem Benfica-Académica.

 ●  + 7 comentários  ● 

Análise da arbitragem pelo ex-árbitro Reborn:

LANCES CHAVE

Min. 18 - Grande penalidade assinalada a favor do Benfica. Dois momentos para análise neste lance: em primeiro lugar, o jogador academista Rafa contesta suposta infracção de Pizzi momentos antes do Benfica recuperar a bola. Como as imagens documentam, Pizzi, tem inclusive uma acção de se encolher de forma a não tocarem Rafa, o que efectivamente não faz, tendo o dianteiro português tentado iludir o árbitro de uma suposta falta que não existe. Num segundo momento, a velha questão da intensidade. Lima recebe a bola do seu companheiro, e é tocado nas costas de forma vísivel por Fernando Alexandre. A questão da intensidade coloca-se de forma a compreender se o toque foi ou não suficiente para fazer Lima cair. Contudo, a imagem que o árbitro Luís Ferreira possui, é só uma, e essa é bem visivel nas imagens televisivas. Não existe toque nas pernas, mas existe sim um empurrão evidente nas costas do avançado encarnado. Os protestos dos jogadores academistas foram parcos (mesmo do próprio infractor), e viseram inclusivamente mais a acção de Pizzi, que a que originou a grande penalidade, pelo que apesar de não ser uma situação clarissima, é um lance que efectivamente comporta para a marcação de uma grande penalidade. Luís Ferreira esteve bem, ao não mostrar cartão amarelo a Fernando Alexandre pois a falta é de natureza negligente, e a acção de Lima não era de perigo para a baliza estudante, pois o mesmo estava de costas e a sair da área de grande penalidade. Não existem dúvidas que apesar de cair fora, a acçãop faltosa é dentro da área. Em suma, um conjunto de boas decisões de Luís Ferreira.
Não existe falta de Pizzi, existe de facto grande penalidade, e a mesma não é passivel de advertência (tripla decisão acertada)

http://www.ojogo.pt/servicos/videosliga.aspx#/video?24383

Min. 37 - A meio do meio campo da equipa do Benfica, Luisão entra de forma negligente sobre Rafa Lopes, cortando em primeira instância a bola, mas, devido ao impeto que coloca na disputa da mesma, acaba por tocar evidentemente nas pernas do avançado português. Talvez induzido pelo toque no esférico, Luis Ferreira deixou prosseguir, mas falhou. Falhou porque apesar do toque na bola, Luisão cometeu também uma infração técnica ao rasteirar por trás de forma negligente Rafa. Pontapé livre que ficou por assinalar favorável aos de Coimbra (decisão errada)

Min. 42 - Dentro da área de grande penalidade do Benfica, do lado do assistente nº1, André Almeida ganha a posição a Esgaio na disputa por uma bola. Esgaio, ao ver o seu adversário projecta-se em direcção às costas do mesmo, acabando ele próprio por ficar a pedir obstrução e respectiva grande penalidade por falta de Almeida. As imagens não deixam grandes dúvidas: André Almeida tem já no momento do contacto, não só a bola, como o lance totalmente controlado. (decisão correcta)

Min. 47 - Quando saia para um contra ataque rápido pelo lado esquerdo, e um pouco à frente do banco do Benfica, Ofori é nitidamente travado em falta por Maxi Pereira, que se desinteressa do lance por completo, e comete uma obstrução clara e motivadora de cartão amarelo por ter sido praticada se qualquer intuito de disputar a bola, mas apenas travar o avanço do jogador africano da Académica. Luís Ferreira marcou bem a falta, mas ficou a dever a advertência a Maxi (decisão parcialmente incorrecta). Parece-me que Maxi tentou claramente limpar os cartões neste lance, algo que de forma algo surpreendente não conseguiu.

Min. 55 - Dentro da área de grande penalidade da Académica, do lado esquerdo da mesma, Gaitan tenta fazer um cruzamento para Jonas ou Lima que se encontravam na zona frontal do terreno. Pelo caminho a bola acaba por bater em Fernando Alexandre. Gaitan levanta o braço a pedir grande penalidade, mas não parecem haver grandes dúvidas, a bola bateu na anca do jogador estudante. Esteve bem Luís Ferreira em deixar seguir o jogo. (decisão correcta).

Min. 59 - Erro grosseiro de Alfredo Braga, assistente que acompanhava o ataque do Benfica na segunda parte ao assinalar mal um fora de jogo a Lima quando este saia já disparado sem grande oposição pelo lado esquerdo do ataque benfiquista. Travou assim um lance que traria seguramente uma jogada de perigo. Lima estava inclusivamente atrás do penúltimo e do antepenúltimo defesa academista. (decisão incorrecta)

Min. 78 - Cartão amarelo bem mostrado por rasteira imprudente de Maxi Pereira sobre o jogador da Académica Nascimento (pareceu-me). Maxi foi, tal como já me havia parecido no primeiro lance, procurar o cartão, e aqui, Luis Ferreira esteve bem, visto ter-se tratado de uma entrada imprudente e a despropósito do lateral uruguaio. (decisão correcta)

SUMÁRIO

Falhas de pouca importância não mancham uma exibição agradável de Luís Ferreira, que permitiu brilhar quem mais merece: os jogadores. Deixou jogar, e fez o que o jogo pedia. Não complicou o que foi fácil. Esteve acertado na grande penalidade, e exceção feita ao lance de Maxi, esteve bem disciplinarmente. Falhas técnicas existem em todos os jogos, acabou por falhar o lance de Luisão porque optou e bem por um critério largo. O jogo pedia-o, estava aberto e mexido, Luis Ferreira não interferiu. Exibição agradável e que passou totalmente ao lado de casos e do resultado final. Que seja sempre assim, nos jogos do Benfica, e de todas as equipas do campeonato, sobretudo agora que se entra numa fase quente da competição.
Quantos aos assistentes, Alfredo Braga errou no lance de Lima, enquanto Luís Cabral esteve sempre acertado. Apesar do erro, merecem nota positiva pela ajuda ao seu colega. 
Tirando um outra falha de pormenor, deixaram boa imagem no Estádio da Luz.

7 comentários via blogger

  1. Caro Renascido,

    Vamos lá ver..

    A nível formal não se diz sumário, mas sim: conclusão !!!

    Quanto à análise técnica em si. O Sr Reborn pode dizer o que quiser, pode ter a opinião que quiser..

    Aqui e na China: o golo do Jonas é ferido de ilegalidade, é falta atacante do Jonas que se atira para cima do defesa. Não há mas, nem meio mas. Jonas não salta com o defesa para cabecear. Jona atira-se para cima dele. O que é diferente. O golo teria que ser anulado.

    E, no lance do penalty, é André Almeida quem 1º faz falta e, no seguimento da jogada
    só o árbitro Luís Ferreira da Casa do Benfica de Barcelos é que ' vê ' a falta para penalty.
    Mais ninguém pode dizer que vê.. Ninguém!!! É que não se vê em nenhuma imagem que
    há falta, infracção para penalty. E, não, não estou a dizer se é ou não penalty. Estou a afirmar que nas imagens que existem, em lado nenhum se vê falta!!!

    Por fim, dizer que mais uma vez, uma vez mais, pela enésima vez é poupada a expulsão
    ao Maxi Pereira. Isto, sem falar nos lances de fora de jogo não assinalados ao ataque do SLB.

    Resumo, conclusão: Que o Benfica ganhava na mesma, ganhava. Que vencia facilmente
    aquela Académica remendada, vencia.. Sem dúvida. Não estou a tirar o mérito.

    Mas, mais uma vez a equipa de arbitragem inclinou o campo. Teve dois pesos e duas medidas.

    Cumptps

    MPV Pinto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Jonas faz falta, mas o Jackson que se apoia sempre no adversário para cabecear, joga limpo... Ainda na segunda-feira estava a conversar com um amigo portista, que dizia não ter visto o Rio Ave-Porto na televisão, mas ouviu o relato... Dizia ele que mesmo não tendo visto o jogo nem o resumo, não existiu fora-de-jogo no golo anulado ao porto (mal anulado, diga-se), mas que não podia opinar sobre a posição de pretenso fora-de-jogo que deu o penalti ao porto, porque a rádio não tem imagens. Tipico adepto, que só 'vê' o que lhe convém...

      Quanto ao jogo do Benfica, só vi parte da segunda parte, e o resumo do jogo... Quer-me parecer que o penalti resulta mais da matreirice do Lima do que propriamente de alguma falta que possa causar aquela queda. É a velha questão da intensidade e do mínimo toque que pode desequilibrar um jogador que está em movimento. A mim, que apenas vi duas repetições no resumo do jogo, não me parece que exista algum toque que fosse suficiente para provocar a queda

      Um abraço,
      VR

      Eliminar
    2. Tal como referi, não é uma situação clara. A imagem que o árbitro possui do lance, pelo angulo que dispunha, é de ver, pelo menos é o que me parece, a mão colocada nas costas. Como referi, a intensidade vem sempre à baila nestas questões, mas quando se analisa um lance rapidamente, o que de imediato salta aos olhos não é a intensidade, mas sim se existe contacto. E aqui, pelo menos, o contacto nas costas é visivel. Fernando Alexandre pouco protesta. Poucos jogadores protestam o lance, e os que o fazem restringem-se ao primeiro momento da jogada. Aceito que o árbitro deixasse seguir, mas também concordo com a marcação da grande penalidade. Já vi marcarem por mais, já vi marcarem por menos, e recorrentemente se vê marcar por nada. Neste caso, o árbitro foi peremptório e o prevaricador pouco protestou. Para quem anda/andou lá dentro, este é um caso que indicia alguma ilegalidade ou comprometimento...foi o único lance que levantou alguma celeuma...quanto ao resto...deixou brilhar que merece: os jogadores!

      Cumprimentos

      Eliminar
  2. O Lima é derrubado pelo toque no pé de apoio e pelo 'empurrãozito' nas costas ... !

    ResponderEliminar
  3. Quanto ao golo do Jonas, o 2-0, que tem levantado algumas questões aqui nos comentários, fica a imagem do momento exacto do cabeceamento:

    http://gyazo.com/d62f28ad7057e27b29ae688f0ba54b55

    A acção do defesa academista é de total passividade. Quando procura disputar o lance, já Jonas tem a posição mais que ganha por ter atacado a bola bem antes do seu oponente. No momento do cabeceamento o seu posicionamento é vertical, e o contacto torna-se inevitavel porque existem as leis da fisica.
    Nem sequer me pareceu digno de menção por quer no primeiro momento, quer nas repetições, o lance nem deixar qualquer dúvida, pelo menos para mim. Se pugnamos por uma arbitragem à inglesa (seja lá o que essas pessoas que o fazem querem dizer), então lances destes nem são merecedores de referência.
    Mais uma vez, nem um simples protesto dos jogadores academistas.

    ResponderEliminar
  4. Volto a insistir:

    Na minha opinião, Jonas não salta com o defesa. Jonas atira-se sobre o defesa. Aqui e na China é falta, segundo as regras do futebol.
    O golo só é válido sim, no futebol australiano.

    Ninguém pode afirmar que vê falta para penalty... ninguém. As imagens não mostram.

    Maxi Pereira devia ter sido expulso..

    Ou seja, sem tirar o mérito da vitória... gostava que ganhassem, sim, mas sem colinho, sem campo inclinado.

    Mas não fosse o diabo tecê-las.. há que prevenir.

    MPV Pinto





    ResponderEliminar
  5. Campeonato 2013/2014

    Paços de Ferreira 0-1 Porto

    Jogo decidido com golo de Jackson.

    Jackson antes de saltar empurra Ricardo, o árbitro deixa prosseguir o jogo, e permite a obtenção do golo que deu a vitória aos azuis e brancos. Depreendo que aqui não tenha havido salto, nem nada, foi apenas Ricardo que sentiu o vento e se desviou por completo.
    Se me disser: é verdade, golo inválido, Porto beneficiado em 3 pontos, campo inclinado, classificação desvirtuada, aí sim, começo a ter em conta as suas opiniões. Se porventura me disser que os lances não tem nada que ver um com o outro, então estamos conversados.

    Cumprimentos

    https://www.youtube.com/watch?v=BfsRInfDQ6s

    A partir do minuto 4.20!

    ResponderEliminar

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.

artigos recentes