O Novo BlogGeraçãoBenfica é agora um espaço aberto a outros bloggers benfiquistas. Um espaço de opinião individual, alheio a quaisquer interesses individuais ou colectivos.
Os autores dos textos serão os únicos responsáveis pelos mesmos, não sendo definida qualquer linha editorial ou obrigatoriedade. email: novogeracaobenfica@gmail.com


O Benfica deve vender em Janeiro?

domingo, 3 de agosto de 2014

Avatar

E mais outro corajoso que quis substituir o Benfica by GB...

 ●  + Sem comentários  ● 
Olá. Foquei-me na minha visão do estado do benfiquismo, em vez de falar de X ou Y em particular. Penso que respeitei as regras estipuladas. Gostava também que me indicasse o dia em que vai publicar o texto (se o decidir publicar) para poder acompanhar o feedback que venha a existir. 

Cumprimentos,
Thoreau

Um clube entregue a si próprio. 

Como tem sido a interecção entre os benfiquistas e o clube na última década? É essa questão que me proponho responder neste texto, mas antes vou tecer alguns comentários sobre os nossos rivais para que exista um termo de comparação. 

O Sporting durante mais de 15 anos esteve mergulhado naquilo a que se convencionou apelidar de "roquettismo", que fez enormes estragos na identidade do clube. Apesar disto, os sócios e adeptos foram demonstrando vontade de mudar de rumo e evoluir. Nas últimas quatro eleições apresentaram-se treze listas. Foram organizadas duas edições do Congresso Leonino (iniciativa da direcção, mas que dá voz a sócios e adeptos), em 2009 e 2014. Em 2008 nasceu a Associação de Adeptos Sportinguistas, com actividade pouco relevante mas constante. O movimento Dar Rumo ao Sporting, criado por dois sportinguistas anónimos (com 24 e 22 anos!), derrubou Godinho Lopes. A nível individual nota para o actual presidente teve um passado (pré-eleições de 2011) bastante activo na vida do clube. A presença online dos adeptos do Sporting 

Quanto ao Porto, os continuados sucessos desportivos da última década não motivam um envolvimento muito profundo da massa adepta na vida do clube. As eleições não passam de uma formalidade obscura, e acontecimentos como a perda de pontos devido a um processo de corrupção e a descida de divisão de uma modalidade são interpretados como um ligeiro contratempo ou simplesmente ignorados. Ainda assim os portistas conseguem ter claramente a melhor (apesar de ser a mais reduzida) presença online entre os adeptos dos três grandes. Além de manterem vários blogs de grande qualidade ao nível da sua análise da realidade do clube, foi possível passar do espaço virtual para o espaço real através dos "Encontros da Bluegosfera", que já vão na sua terceira edição.

Chegamos então ao que realmente interessa: o Benfica e os benfiquistas. 

- A nível de votantes a participação dos benfiquistas é maior que a dos outros grandes juntos, no entanto nas últimas quatro eleições apresentaram-se 8 listas (contra 13 do Sporting).(1)  Em 2006 não existiu qualquer alternativa à direcção e os dois candidatos que se apresentaram desde 2003, tal como o Presidente actual, não tinham uma ligação clara e consistente à vida do clube. 

- Quanto a iniciativas para os adeptos pensarem o clube nada existe. Nem os estatutos o incentivam, como acontece no Sporting, nem os benfiquistas demonstram qualquer interesse nesse tipo de evento. Em 2013 foi criada a Associação de Adeptos Benfiquistas, que até hoje não apresentou qualquer iniciativa de relevo. Nota positiva para a pressão que foi feita relativamente à "mancha azul" na camisola, que acabou por ser retirada.

- No âmbito individual também muito pouco aconteceu na última década. Rui Rangel, que desde 2000 foi o candidato com mais votos, excluíndo a direcção actual, virou a agulha para a Liga de clubes. 

- No que toca à presença online (na qual se engloba este blog) as análises de qualidade são residuais, se levarmos em conta a enorme quantidade de benfiquistas que existem online.(2) Enquanto que em vários blogs dedicados ao porto se podem ler regularmente textos esclarecedores e imparciais (q.b.) sobre vários assuntos do clube (e se perde pouco tempo a atacar adversários), nomeadamente as finanças, no caso do Benfica existe apenas uma guerrilha constante onde benfiquistas se perdem nas mais variadas e bizarras teorias da conspiração e se atacam uns aos outros constantemente, recorrendo aos piores insultos que conseguem imaginar, matando à nascença qualquer possibilidade de diálogo e análise construtiva. Também benfiquistas que falam do clube de forma civilizada, mas esses ou se limitam a fazer análises redundantes da realidade do clube (ganhamos --> bom, perdemos ---> mau), ou se focam em áreas específicas. Isto leva a que se crie um ciclo vicioso onde as ideias e análises não passam de um fraco pretexto para o ataque pessoal, entre benfiquistas anónimos, ou a quem está no clube, o que acaba por gerar mais animosidade entre pessoas do mesmo clube que de clubes rivais.

Em jeito de conclusão o Benfica, apesar de ter mais adeptos, é entre os três grandes aquele onde existe menos iniciativa e reflexão fora do clube (3), algo que se tornou mais evidente na última década, mas que tem a sua génese já no séc. XX. 

A questão agora é se existe interesse e vontade para lutar por um clube melhor através de uma participação mais activa de sócios e adeptos ou se se prefere deixar o clube entregue a si próprio, à mercê das intenções de terceiros.

1. Ou 10 no Sporting e 6 no Benfica se contarmos apenas as listas com mais de 5% dos votos.
2. 1.2 milhões de likes portugueses no facebook oficial.
3. Excluíndo o fantástico trabalho que é feito em muitas Casas, pois esse foca-se em fomentar o benfiquismo (algo que mais tarde dará frutos) e não em analisar ou alterar o rumo do clube.

0 comentários via blogger

Enviar um comentário

Se não estiver registado, assine sempre o seu comentário. Se não o fizer, não se queixe se não for publicado.

artigos recentes